Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mantinha do Ego

Pequenos retalhos que cobrem o alvorecer de dois quotidianos...

Mantinha do Ego

Pequenos retalhos que cobrem o alvorecer de dois quotidianos...

Coisas que não vão mudar em 2019

Nesta altura do ano é comum fazerem-se balanços e resoluções. Balanços que, supostamente, servem para aprendermos alguma coisa, mas como não conseguimos alterar o passado, geralmente não têm grandes efeitos práticos. Resoluções, que só valem enquanto pensamos nelas, porque depois, logo na semana seguinte, ficam esquecidas até ao dia homólogo do ano seguinte, até porque não sabemos o futuro. Há até quem diga que nada se pode alterar e que pouco se pode fazer, dado que um ente superior, mais entendido nas artes futuristas, já escreveu, por linhas tortas, o que nos vai acontecer.

 

Independentemente disto tudo, e porque não sou pessoa nem de grandes balanços, nem de empenhadas resoluções, atrevo-me a enumerar uma série de coisas que se vão manter igualmente iguais, apesar de termos mudado de ano e estarmos quase a mudar de década.

 

Primeira coisa, o tempo cronológico. Não vão haver nem mais meses, nem dias, nem horas ou minutos. São exatamente os mesmos que nos anos anteriores. Não se esqueça de apontar: viver cada momento intensamente!

 

Segunda coisa. Não vou conseguir celebrar os meus 30 anos outra vez, porque vou fazer 39 e tal como o ano, também estou quase a mudar de década...

 

Terceira coisa. Reza a história da minha vida que por mais que faça dieta é uma coisa que não resulta em mim. Até porque, apesar de não comer muito e de achar que se fôssemos todos alimentados a pílulas supernutritivas éramos muito mais elegantes e mais cheios de tempo e evitava-se essa coisa de matar animais para comer, algo completamente moderno! Uma barbárie dos tempos atuais!

 

Quarta coisa. Não sei bem, mas parece-me que, tal como desde o início do mundo, vão continuar a haver dias de chuva, frio, sol, calor, portanto, igual, igualzinho.

 

Quinta coisa. Neste momento começam a faltar-me as ideias, tal como a muitos de nós, logo como é algo que me acontece frequentemente, daí a falta de regularidade na publicação de posts no blog, também é outra coisa que não se vai alterar em 2019.

 

Sexta coisa. Não vai deixar de existir corrupção, maldade, crueldade. Assim como o Amor e a Esperança também não se devem alterar.

 

Sétima coisa. E eis que chegamos ao número da perfeição, por falar disso, é perfeitamente expectável que a perfeição continue a não existir na sua plenitude em 2019.

 

Oitava coisa. Também é de esperar que não se altere a música, até porque é um bem que nos eleva o espírito e nos faz bem à mente. Ou, como acontece no filme «Marte Ataca», faz explodir os cérebros dos extraterrestres que tentam invadir o nosso planeta. Quer acreditemos ou não que somos únicos no universo, penso que continuarmos a ouvir música não nos faz mal nenhum...

 

Nona coisa é aquela que, por muito que nos faça estremecer, não se altera e é o que temos mais certo: a lei da vida.

 

Décima coisa. Como é habitual, seguindo a lógica do decálogo, é bonito terminar no número 10. Portanto, que não se altere a tradição.

 

Aqui fica o meu primeiro e, provavelmente, único decálogo do ano. Podem haver outras coisas que não vão mudar, mas não me lembro de momento, pelo que pode acrescentar nos comentários...

Se leu até aqui, perdeu alguns dos momentos que deve viver intensamente (volte à primeira coisa). No entanto, parabéns! A partir de agora, o nosso blog faz parte da sua vida em 2019. 

 

2019.jpg

 

E eis que chegou 2019...

2019 chegou e com ele começam a ganhar forma os tradicionais desejos para o «ano novo, vida nova».

 

Então que assim seja!

 

Vou pensar nas minhas resoluções e escrevê-las. Pode ser que assim pareçam mais credíveis do que meros pensamentos engolidos nas 12 passas que não comi...

 

Que este ano entre levemente, como brisa que sopra pelos dias que agora passam, sem darmos por isso, e que seja uma lufada de ar fresco para recuperar dos dias de azáfama vividos para celebrar o ano que findou.

 

Que traga consigo a possibilidade de desejos realizar, sejam eles as tão desejadas saúde, paz, alegria e sucesso, como o sol que aquece nas tardes de inverno ou as estrelas que pintam o céu limpo numa noite de verão em que acampamos com amigos e tocamos melodias ao som da guitarra.

 

Que a mudança seja radical para quem quer a «vida nova»! Que corte a respiração, agite, derrube, levante e abrace. Que haja consolação!

 

Que 2019 traga coragem para vencer barreiras, determinação para saltar os obstáculos e ganhar a maratona de sorriso rasgado e sem fôlego ao cortar a meta.

 

Que seja sinónimo de respeito e amor! Que traga paz aos corações e nos ajude a sermos mais compreensivos. Se assim não for, para quê comer as 12 rugosas passas?

 

Autenticidade! E olha que este é importante... Sermos fiéis a nós e aos outros para termos a tão desejada paz de espírito.

 

E se não for pedir demais, então ainda quero que 2019 seja um ano em que a alegria, a sabedoria e a coragem andam de mãos dadas, como crianças que saltam à corda e brincam com a bola da mudança.

 

Que hajam sonhos e que estes possam ser bem reais e felizes...

 

Que o tempo permita a leitura, passeios pela praia, viagens para lugares de cortar a respiração e conhecer novas pessoas!

 

Que possa cumprir metas pessoais e profissionais para crescer em sabedoria (já chega de brincadeiras com a balança!).

 

Então que seja isto. Que se cumpra esta utopia e que 2019 seja melhor que 2018 e se não for, também não me importo que seja igual.

 

Afinal o que conta é mesmo poder ser feliz!

 

desejos.jpg