Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mantinha do Ego

Pequenos retalhos que cobrem o alvorecer de dois quotidianos...

Mantinha do Ego

Pequenos retalhos que cobrem o alvorecer de dois quotidianos...

A essência de ser criança

«Sinto-me nascido

Para a eterna novidade do mundo»

(Fernando Pessoa, O Guardador de Rebanhos)

 

Hoje quem me inspira é Fernado Pessoa, através de Alberto Caeiro, que me transmite, pelas suas palavras de sabedoria simples, a beleza do mundo através dos olhos da inocência.

Inspira-me esta frase que me conduz à reflexão sobre a disponibilidade de olhar o mundo, a cada momento, com olhos de esperança e estar disposto a nascer e renascer para sua constante metamorfose.

E o que vejo, hoje, é um mundo onde vagueamos sem destino ou objetivos, por estradas tortuosas e acidentadas, em que cada curva é um desafio para olhar para «a direita e para esquerda» na busca constante de algo novo e que nos encha o olhar.

 

Olho. Vejo. E o que encontro é um vazio onde não reside a esperança ou a inocência de ser criança...

É um mundo que, na sua transformação constante, apenas permite uma descoberta insatisfatória e poucas vezes completa...

 

Mergulho no silêncio profundo, em busca do olhar e das vozes alegres de crianças que brincam e saltam pelos parques. Encontro-a no meu pensamento.

Enterro-me nas areias das praias, debaixo do sol quente e que me cega com a sua luz, numa satisfação tão pueril quanto a idade me permite.

Saboreio o chocolate. Delicio-me com os gelados.

Sinto-me presente em cada instante. Sou criança. Sou feliz.

Entre saltos, corridas e gargalhadas, nasce em cada som um novo mundo.

Um mundo em que a felicidade existe.

Um mundo em que ser criança é apenas ser criança.

Uma transformação constante. Um rodopio incessante!

 

Sinto o assombro que cai quando abro os olhos. Regresso ao mundo em que vivo. Esqueço. Avanço. E perco-me. 

Estou no mundo real. Mas o que é o real?

Vivo para a eterna descoberta não sei de quê, em busca de algo mais no olhar de cada criança que se cruza no meu caminho.

Talvez aí descubra a essência de ser feliz...

 

criancas.jpeg

 

1 comentário

Comentar post