Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mantinha do Ego

Pequenos retalhos que cobrem o alvorecer de dois quotidianos...

Mantinha do Ego

Pequenos retalhos que cobrem o alvorecer de dois quotidianos...

Afinal, o que é que há todos os dias?

Todos os dias, horas, minutos e segundos há...

 

...a alegria no olhar de quem vê uma obra de arte, lê um poema que agrada, olha as crianças a brincar no parque ou apenas aprecia a beleza da manhã.

 

...o sorriso no rosto daquele que saboreia um gelado, de quem respira o salgado do mar ou sente a frieza da noite.

 

...o sabor da doçura de uma mãe que acarinha o filho, de um cão que brinca com o dono ou da alegria de um sorriso.

 

...o sentir da gentileza do abraço que conforta o solitário, que agarra pela mão aquele que se perde ou apoia a velhice de quem o acompanha.

 

...o vento que sopra contra as janelas e que constrói a banda sonora da natureza que se ouve numa tarde de domingo em que o céu chora e limpa a alma.

 

...o brilhar do sol, que reflete os seus raios na montanha, para uma paisagem pitoresca para um piquenique em família.

 

...o viver da oportunidade de renascer para um novo dia, de procurar um sentido ou de buscar a harmonia.

 

Todos os dias há qualquer coisa. Há uma razão, um caminho, um segundo, um minuto, uma hora ou mais um dia.

 

Há sempre qualquer coisa, nem que seja abrir os olhos e perceber que hoje é dia.

 

 

dia.jpg