Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mantinha do Ego

Pequenos retalhos que cobrem o alvorecer de dois quotidianos...

Mantinha do Ego

Pequenos retalhos que cobrem o alvorecer de dois quotidianos...

Baloiço

Gosto de balançar,
a velocidade dá-me a impressão de voar
e a liberdade que me dás
dá-me a sensação de amar.
Roubas-me à realidade,
fecho os olhos e perco o chão
e, num abraço de fusão,
a brisa acaricia, e dá-se magia.
Agora tenho o azul que me embala,
agarro-me aos teus braços
e, só isso me protege de cair no vazio.
Havia tanto tempo que não te via sorrir,
tive tanto medo que não pudesses vir...
e balanço na vida de cá,
na esperança, desesperada, da vida de lá.
No vai e vem das quimeras,
no momento das coisas efémeras
e tu vens ao meu encontro
no preciso instante das primaveras...
Quando paras
o meu corpo desamparas
e, caio no chão,
num ruído de caixão.
A magia esfuma-se
acaba a paixão.

 

Gosto de balançar
Mas só quando sinto a sensação de amar.

 

10balioço.jpg

 

 

Nota: Hoje o desafio foi escrever em poesia sobre o tema «baloiço». Confesso que foi difícil e, por isso, a Alexandra escreveu, em prosa poética, sobre fotocópias. Hi hi hi.