Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mantinha do Ego

Pequenos retalhos que cobrem o alvorecer de dois quotidianos...

Mantinha do Ego

Pequenos retalhos que cobrem o alvorecer de dois quotidianos...

Gelado de chocolate e baunilha só porque posso escolher

Há desafios que surgem quando menos se espera. E esses são verdadeiramente desafiantes.

 

A escolha entre ir para à faculdade ou trabalhar é esperada que se faça a dada altura. Decidir o que jantar acontece todos os dias. Não é nada de novo, apenas rotineiro. Mas escolher entre se quero um gelado de chocolate ou morango isso já me deixa ansiosa. Nunca sei bem o que escolher, até porque não acontece todos os dias.

 

A verdade é que fazer escolhas, por mais simples que sejam, me deixam ansiosa. E tira-me o sono, distraí-me das outras coisas que acontecem no dia-a-dia.

 

 

Tenho sempre receio de não escolher o que é certo ou se vou agradar os outros com o que escolho. Onde fica a minha decisão no meio disso? Não faço ideia, mas a verdade é que estou constantemente a fazer escolhas. Como o tema sobre o qual escrever hoje. Isso sim, foi desafiante!

 

Mas aprendi uma coisa muito importante: as minhas escolhas são sempre minhas. São parte de mim e são aquilo que me vão ajudar a crescer. 

 

O desafio? É sempre o desconhecido. Ter receio do que nos espera é não estar predisposto a aceitar a aventura. Eu gosto de acreditar que sou aventureira. Que sei o que quero para minha vida.

 

Na realidade não sei nada. Ou melhor: pouco sei. 

 

Mas se há coisa que me faz sentir feliz, é saber que tenho a capacidade de escolher. Saber aceitar as consequências dos desafios que se impõem. Isso é ser aventureira. Ou talvez não. Mas também não me apetece decidir isso agora.

 

Por isso, vou simplesmente escolher saborear um gelado de chocolate. Sei que gosto e que sabe muito bem. Talvez com baunilha, apenas porque posso escolher.

 

caminho.jpg