Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mantinha do Ego

Pequenos retalhos que cobrem o alvorecer de dois quotidianos...

Mantinha do Ego

Pequenos retalhos que cobrem o alvorecer de dois quotidianos...

Olhar da saudade

Hoje é um daqueles dias em que recordamos aqueles que nos amaram desde o princípio...

 

Relembramos os que permitiram a nossa existência e que presenciaram os primeiros passos, palavras, idas para a escola, metas alcançadas e formaturas. Recordamos quem nos limpou as lágrimas, abraçou e confortou. O «hoje» é dedicado aos nossos pais e heróis.

 

Recordamo-los com toda a amizade e graça de os ter na nossa vida...

 

E hoje a minha recordação está focada em ti!

 

Estás presente em cada instante pela voz da saudade e consciência. És amor eterno que encontro no caminho. A luz do teu olhar é a lembrança da candura e beleza do teu coração.

 

Na tua face redescubro, através de fotografias, cada marca que a vida deixou. Cada traço é uma pequena história que viveste e um registo da tua dedicação e força de vontade. E é em cada uma dessas recordações que busco o alento para dar a cada memória um sentido mais profundo.

 

És maravilha do amor que brota na simplicidade. És dedicação e alegria. Ternura e puerilidade. Inocência e bondade.

 

Recordo-te com a esperança de um dia te encontrar.

 

Sonho com a possibilidade de te abraçar.

 

Anseio pelo momento em que, no teu amor, me possa reconfortar.

 

Sei que ser herói é ser efémero e que, na incerteza da continuidade, é o tempo que me dá espaço para a recordação...

 

Há nesse som dos ponteiros que avançam uma magia, como se o pó de fada um dia pudesse abrir algum portal apenas para te abraçar num sonho transcendente.

 

A certeza de que te encontrarei é alimento da memória. 

 

Mas, por agora, apenas mergulho no verde dos teus olhos esperança que, pela saudade, me permitem recordar-te...

 

avo11.jpg

Nota: Esta fotografia já conta com 20 anos e é uma das minhas preferidas com o meu avô, a quem dedico este texto.