Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mantinha do Ego

Pequenos retalhos que cobrem o alvorecer de dois quotidianos...

Mantinha do Ego

Pequenos retalhos que cobrem o alvorecer de dois quotidianos...

Pensar no tempo não é perda de tempo!

Pensar sobre o tempo é muito mais desafiante do que ver a sua definição no dicionário. E há tantas que é preciso tempo para lê-las!

 

Ora, segundo esse livro de definições tão prático, podemos entender o tempo como um prazo, estação do ano, um temporal, uma época, uma oportunidade, um movimento ou duração de uma ação. Há tantos tempos e nós continuamos sem ter tempo...

 

Então, escrever sobre ele é quase uma perda de energia. É duro pensar naquilo que não temos ou que não controlamos. É deixar de viver no agora para tentar passar para o concreto aquilo que vive intensamente no estado psicológico.

 

Sobre o tempo muito se diz, se escreve e planeia. A verdade é que ele passa sem darmos conta.

 

Agora que paro e penso nele, percebo que a sua rapidez é quase impercetível. É como olhar para o passado e ver marcas numa cronologia de acontecimentos, os quais nos parecem longínquos quase sonhados. Nada parece real...

 

Gosto de pensar no tempo como uma oportunidade em que, no meu pensamento, paro para olhar as folhas vermelhas, laranjas e amarelas das árvores que me dizem que é outono e que chegou a minha estação de eleição.

 

Apraz-me o cheiro da terra molhada e ter tempo para apreciar esses aromas característicos da estação.

 

Olho para trás e vejo que muito já se passou, que marcas fui deixando, que o tempo passou e que com ele cresci e aprendi.

 

É este olhar para "ontem" e reviver o que já não volta que me revelam que o tempo é precioso. Traz consigo a beleza das oportunidades, das conquistas e do viver mais um pouco todos os dias.

 

Pensar no tempo é encarar a beleza da vida, uma qualidade que só é contável pela sua passagem, marcas e aprendizagens.

 

Por isso o tempo é sonho, é arte, é conquista, é movimento e ousadia. Traz consigo a alegria, a cor, o sol, a chuva,  o vento, os relógios e tudo o que quisermos alcançar!

 

Para mim olhar o relógio é ver o tempo passar, é vê-lo correr através dos ponteiros sem nunca parar.

 

E estar parado no tempo é não viver. Se for para pensar no tempo, que seja no agora, porque este é o momento que ainda me pertence e sobre o qual vale a pena pensar e aproveitar...

 

outono.jpg

 

1 comentário

Comentar post