Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mantinha do Ego

Pequenos retalhos que cobrem o alvorecer de dois quotidianos...

Mantinha do Ego

Pequenos retalhos que cobrem o alvorecer de dois quotidianos...

Poesia

Há poesia em cada palavra que sai da tua boca,

Há ritmo em cada olhar que a tua alma evoca.

No silêncio que envolve o espaço escuro

Noto a presença da beleza que em ti descubro.

 

Adormeço nos teus braços, Amor, que reconfortas,

Pelos sons da tua respiração que na minha alma tocas.

Deixas num caminho uma marca à tua passagem

Como quem devora da saudade uma mensagem.

 

Vives eterna na luz que em ti cintila,

Numa dor que só no poeta rejubila.

És expiração do tempo que passou

E manténs viva a alma que a vida roubou.

 

Deixaste aos loucos a tua herança,

Como se fosse para todo o sempre uma aliança.

Deixaste em Camões a beleza do Amar

E em Nobre a saudade de à Pátria regressar.

 

És loucura, entrega, paixão, vida e morte!

És vida, amor, esperança, dor e sorte!

A tua doçura cantada ao ouvido é sussurrada

Como girassol que dorme infeliz na madrugada.

 

Infortúnio do Poeta que cedeu aos teus encantos,

Pela canto de sereia que evocaste nos encontros.

Foi a beleza da tua loucura que me conquistou

E, a ti, rendi-me num Amor que  já se eternizou...

 

poeta.jpg

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.